Fases e Fatos,  Infância

Pai adapta bicicleta e pedala quase 40 km por dia para levar filha na escola

Juraci Ferreira Faustino Souza, natural da Paraíba, estava desempregado e morava com a família havia três meses em São Carlos, em uma fazenda às margens da Rodovia Professor Luis Augusto de Oliveira (SP-215).

Para não deixar que sua filha Maria Vitoria de 4 anos ficasse sem estudar, Juracir adaptou uma bicicleta e pedalava  diariamente quase 40 quilômetros para levar e buscar a criança da zona rural até a cidade

Segundo a Secretária de Educação, a menina  teria o direito ao transporte escolar, mas por ter menos de 6 anos, precisava ser  acompanhada por um responsável. Inclusive o ônibus que transportava os alunos da zona rural até a escola passava ao lado da casa da família.

Jurandir é um desses pais que faz  tudo pelos filhos e sempre quer o melhor para eles. Daqueles pais que cuidam e se dedicam para que seus filhos sejam felizes. E não medem esforços para fazer além do necessário para eles.

Segundo Jurandir, ele não consegue entender porque o ônibus pega seu sobrinho cinco meses mais novo que sua filha e não pega Maria Vitoria, visto que ele é apenas cinco meses mais velho que ela.

O trajeto deles não é fácil. Ele se inicia às 5h20 da manhã e dura pro volta de 1h30 por uma estrada de terra, depois a rodovia e o trânsito da cidade. Após deixar  a menina na escola ele retorna para casa.

“Quero dar a ela o que eu não tive, porque eu não tive essa oportunidade”, afirma Jurandir.

Jurandir relata que fará o percurso até conseguir a vaga no ônibus para menina.

A Prefeitura da cidade ofereceu a ele a opção dele acompanhar a menina, aguardar a aula e retornar com ela no ônibus da escola. Todavia, seria inviável para ele, visto que ele teria que ficar na cidade o dia inteiro sem se alimentar.

Adaptações

O que mais chama atenção em seu meio de transporte é que sua bicicleta é coberta com uma cortina de banheiro e adaptada com uma cadeirinha para a criança. Tudo isso para enfrentar os imprevistos do tempo.

O caso ganhou repercussão após ser divulgado em um grupo do Facebook pela mãe de um colega de sala da criança.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.

Fonte: http://g1.globo.com

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *