Dicas,  Dicas de Mãe para Mãe

A técnica da Caixa da Raiva como instrumento para controlar as birras das crianças

A técnica da Caixa da Raiva como instrumento para controlar as birras das crianças

Quem tem filhos pequenos sabe que quando menos se espera, surge uma birra que os pais acabam tendo que enfrentar. As temidas birras começam, normalmente, aos dois anos (terrible two), e podem perdurar até os sete anos.

Por que as crianças têm birras?

Birras são a maneira a qual as crianças manifestam sua ira ou raiva. Normalmente, ao completarem dois anos as crianças começam a se sentir mais autônomas e independentes, não sabendo lidar com a contrariedade e nem com as falhas.

Na maioria das vezes, ao tentar fazer algo que ainda não tem habilidade para fazer, a criança fica frustrada e irrita. Com isso não consegue se controlar diante da situação.  Isso ocorre em decorrência de que seu córtex pré-frontal, que é responsável pela regulação das emoções, ainda é imaturo, e sua maneira de expressar sua raiva e frustração é explosiva, como se fosse um vulcão em erupção.

Com essa idade, as crianças já conseguem saber o que está certo e o que está errado e tirar suas conclusões. Elas conseguem perceber que na maioria das vezes com a birra elas conseguem o que quer, manipulando os pais.

No entanto, mesmo sendo importante os pais saberem o que as birras fazem parte do desenvolvimento dos seus filhos, também é essencial que medidas sobre o assunto sejam tomadas afim de por fim a esses comportamentos assim que eles apareçam.

É claro, que essa tarefa não é simples. Paciência é a chave de tudo. Entretanto, a utilização de algumas técnicas muito fáceis de implementar que podem colaborar  para que você possa lidar com as birras de seu filho e ensiná-lo a lidar com suas emoções.

Uma dessas técnicas é a caixa de raiva.

O que é a caixa da raiva?

A caixa da raiva é uma técnica desenhada pela psicóloga espanhola Marina Martín que se baseia na história infantil “Vaya Rabieta”, do escritor francês Mireille d´Allancé.

A história infantil é sobre Roberto, um menino que tem um dia ruim ao receber várias broncas. Com isso ele fica  frustrado e expressa sua raiva com uma grande birra.

A história ilustra a birra como um grande monstro que sai  da criança e controla todos os seus atos, destruindo tudo o que encontra em seu caminho.

No entanto, quando Roberto percebe o dano que ele está causando, ele decide consertar tudo o que ele destruiu. Assim, enquanto ele conserta as coisas, o monstro está ficando cada vez menor. Até que seja tão pequeno que Roberto o coloque dentro de uma caixa para que ele nunca mais se solte.

Esta é precisamente a ideia central em que se baseia a caixa da raiva, uma técnica positiva para ensinar as crianças a terem consciência de suas próprias emoções, reconhecer o impacto que elas têm sobre os outros e aprender a regulá-las, por meio dos desenhos.

Como utilizar a técnica da caixa de raiva?

Todavia, é fácil aplicar a técnica da caixa da raiva. Assim que a criança inicia a a birra ou se sente frustrada, você deve instruí-la  expressar sua raiva em um desenho livre. A  estratégia permitirá a ela canalizar suas emoções, relaxar as tensões acumuladas e aliviar a frustração.

Contudo, ao término do desenho, provavelmente a sua raiva deve ter passado. Então a criança deve observar o que ela o que ela desenhou e suas emoções naquele momento. Após esse momento de observação pode ser solicitado  a criança  fazer “mãos” e “pés” em seu desenho para personificar seu monstro de raiva, tornando o processo mais divertido.

Para finalizar,  você deve amassar o papel, e com ele o personagem. E colocá-lo em uma caixa com uma tampa para que seu monstro de raiva não saia novamente.

Vale ressaltar, que o mais importante sobre essa técnica é a consciência da criança em relação às suas emoções negativas. Ela  aprender a controlá-las de maneira simples. Essa estratégia simples ajudará você a redirecionar sua raiva para emoções mais positivas. Enquanto ensina a controlar suas explosões de raiva ou agressividade.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.

Fonte:Pensamento Contemporâneo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *