Crianças Especiais,  Fases e Fatos,  Gravidez,  Primeira Infância

Mãe revela o motivo que seus filhos nasceram com cores diferentes

Mãe revela o motivo que seus filhos nasceram com cores diferentes

Uma mãe revelou a real razão que seus filhos nasceram com cores diferentes. Judith Nwokocha conta que quando seus filhos nasceram ela achou que a enfermeira havia trocado um dos pequenos.

Judith engravidou em decorrência de dois ciclos de fertilização in vitro. E essa fertilização resultou em dois bebês gêmeos, um menino e uma menina, alegrando toda família.

O nascimento de seus bebês ocorreu com 37 semanas de gestação. Após ser constatado pelos médicos que os bebês não estavam mais de desenvolvendo. O bebês nasceram por meio de parto cesárea. O menino nasceu com 2,7 kg e recebeu o nome de Kamsi. Enquanto a menina nasceu bem pequenina com apenas com 1,5 kg, recebendo o nome de Kachi.

Contudo, ao conhecer seus bebês, a mãe, além de reparar a diferença do tamanho entre eles, achou estranho a diferença de cor. Kachi nasceu branca e Kamsi nasceu negro. A razão do estranhamento é que tanto ela quanto o marido são negros.

Segundo depoimento de Judith ao portal Love What Matters  assim que ela olhou para a menina achou que tivesse acontecido alguma confusão, que a enfermeira tivesse se enganado. Ela esperou alguns segundos achando que a enfermeira ia perceber o erro, mas ela só comentou que meus filhos eram lindos.

O motivo

Por fim, a real razão da diferença entre os bebês, é que Kachi é albina. O diagnóstico foi recebido alguns dias após o nascimento. Diante da diferença, Judith ensina a menina desde pequena a se amar da maneira como ela é. Dizendo a ela sempre que é linda do jeitinho que ela é.

Eu não trocaria a condição dela nem por um milhão de dólares porque ela é perfeita em todos os sentidos. Albinismo tem seus desafios, mas eu estou ensinando ela a ser forte e a lidar com qualquer desafio. Eu mostro a beleza dela e do irmão fazendo diversos ensaios de fotos dos dois. Eu não sei se no momento ela sabe o quão única é. Mas eventualmente ela saberá e é a minha responsabilidade educa-la e ensiná-la a se amar”,  finaliza a Judith.

Deixe-nos saber o que achou, porque sua opinião é muito importante para nós.

Fonte: Love what Matters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *